domingo, 24 de janeiro de 2010

Imaginar o futuro

Atente-se a este texto de Lynda Gratton, retirado do livro «Estratégia Viva, as Pessoas Estão no Centro do Sucesso dos Negócios». Já aqui escrevi sobre ela.
Construção de símbolos para o futuro para construir uma visão empresarial, significado e propósito.

OLHAR DO FUTURO PARA TRÁS
«Para criar uma estratégia centrada nas pessoas, temos de basear-nos e reconhecer a essência da humanidade: a relação humana com o tempo, a procura de um significado, a alma. A compreensão da dimensão do tempo traz consigo a necessidade de operar simultaneamente no presente e no passado, de construir a partir do passado para o presente. O desafio é o de engrenar no estímulo e vitalidade do futuro e o de usar essa fonte de energia para propulsionar o plano a fim de avançar. A concentração em preocupações de curto prazo empurra o negócio para um ciclo repetitivo e táctico lento. Para se conseguir dar o grande salto, é necessário romper com as preocupações e políticas do presente. (...)
(...) As visões são importantes enquanto mecanismos de direcção e de sinalização; enquanto símbolos, para fornecer um ponto de apoio e de identificação; e enquanto ferramentas de aprendizagem, para ajudar os indivíduos a compreenderem os acontecimentos que os envolvem.»

E tudo acontece no curto e no longo prazos: «(...) O ciclo do curto prazo opera em função de uma escala de tempo anual e contém processos tais como a selecção, avaliação e recompensas, que podem ser realinhados ao longo de um ano. (...) A visão tem de ter alguma capacidade para criar uma ponte para esse futuro. A estrutura de tempo deste processo deve reflectir a estrutura de tempo humana. Uma distância de cinco anos está suficientemente afastada do presente para permitir a criatividade, mas não suficientemente afastada para provocar a incredulidade.»