domingo, 21 de fevereiro de 2010

«Fortune» e as 100 melhores empresas

A «Fortune» publicou as melhores empresas para trabalhar. Esta iniciativa nasceu há mais de duas décadas, e foi criada por dois investigadores, Levering e Moskowits. Trabalharam um modelo para identificar as melhores empresas para trabalhar.

Este modelo foi desenvolvido nos EUA, há cerca de 25 anos, e traduziu-se na procura de «um grande local de trabalho». Que é aquele em que os empregados confiam nas pessoas para as quais trabalham, têm orgulho no que fazem e sentem prazer em trabalhar com os outros. Do seu modelo, nasceu a já conhecida «The 100 Best Companies to Work for in America». A primeira vez que foi publicada na revista «Fortune» data de 1993, e daí em diante todos os anos, em Janeiro, somos presenteados com verdadeiras maravilhas da gestão (ver foto edição de Janeiro de 2010).
As cinco dimensões criadas por Levering e Moskowits: Credibilidade; Respeito; Justiça; Orgulho/brio; Camaradagem, que explicarei no post acima. Para encontrar esta classificação é feita uma investigação alargada com a aplicação de questionários a muitos milhares de pessoas. Além das áreas descritas acima, também são contabilizados os benefícios, salários, oportunidades de desenvolvimento.

Uma curiosidade é que só 55% das empresas que foram objecto deste estudo logo de início, em 1984, permanecem dentro das cem melhores. A característica principal é que a lista é composta por grandes empresas, que aparentemente são que as que têm mais hipóteses de fornecerem certo tipo de condições às pessoas. O ponto fraco deste modelo é que não é capaz de prever quais as melhores empresas para trabalhar no futuro.