quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

A lição de 50 Cent

50 Cent é Curtis James Jackson, um rapper americano e agora homem de negócios que começou a sua «vida profissional» como dealer da droga. Tinha apenas 12 anos.

Hoje, Jackson já utilizou o seu nome em marcas de roupa, sapatos, livros e garrafas de água. Escreveu um livro com Robert Green, The 50th Law, onde diz como ter sucesso nos negócios. De hustler a business man. É um fenómeno de senso de auto-eficácia. Diz ele: «a minha avó era uma mulher de coragem, poder e grande determinação. Ela ensinou-me que "Não há conhecimento que não tenha poder".»

Segundo 50 Cent, o maior medo das pessoas é serem elas próprias. «Elas fazem o que toda a gente faz, mesmo contra a sua forma de ser. Porém, assim, não vão a lado nenhum que valha a pena.» Estão a correr contra elas próprias, naquilo que as torna diferentes. «Eu perdi esse medo. Há artistas que fazem coisas que eu não consigo fazer, mas eles não podem bater-me naquilo que eu sou... sendo eu. Quando se sente que conseguimos aquilo que queremos e à nossa maneira, sem nos preocuparmos se os outros gostam ou não, isso é o verdadeiro poder.»

50 Cent aprendeu nas ruas a criar a seu senso de eficácia. Vivia sobrevivendo. Mas a avó e um companheiro mais velho encorajaram-no. Os líderes empresariais têm uma lição a tirar da avó de 50 Cent. Pessoas encorajadas para o desafio, para a aprendizagem, para o desenvolvimento, são profissionais com um senso de auto-eficácia elevado.
Se as pessoas acreditarem que são capazes, e perceberem que os seus colegas e chefias acreditam que eles são capazes, tornam-se mais eficazes, produzem mais, abraçam com mais facilidade novos desafios e são mais abertos à aprendizagem e formação.