sexta-feira, 26 de março de 2010

Afinal, o que é o clima organizacional?

Gosta-se bastante de falar no Sistema, Neles, no Clima, no Ambiente, etc., etc. Estas entidades sem identidade, meio difusas, levam com as culpas sem que se saiba como e a quem afinal assacar responsabilidades. Como se muda o Sistema, e Eles, e o Clima? Não se sabe ao certo por onde começar, pois não se sabe o que é, quem e como é... Tem-se uma ideia, mas...

A melhor definição de clima é dada pelo investigador Weik:
«A configuração que uma organização toma (design organizacional) é o que as pessoas acreditam que a organização é, e o que as pessoas acreditam que a organização é constitui a base para o que as pessoas fazem, e o que as pessoas fazem nas organizações é, com efeito, o design da organização».

A definição de clima de Kets de Vries completa a de Weik:Para Kets de Vries, cultura organizacional é «um mosaico bem expresso de crenças, valores e padrões característicos de comportamentos adoptados pelos membros da organização num esforço para lidar com pressões internas e externas. A cultura organizacional determina os métodos de socialização, os estilos apropriados das relações interpessoais, as relações com outros, o tipo de “performance”. A cultura organizacional contém uma linguagem própria, rituais, histórias, metáforas, comportamentos e todo o tipo de subterfúgios de atitude que dominam o dia-a-dia da organização. Daí que não seja facilmente modificável.»

Resultado: o clima é crença, a crença é percepção, percepção é comportamento, comportamento organizacional é clima, é cultura... O ADN da companhia.

Como se muda a cultura/clima organizacional? Quem é responsável por eles? No post acima explicarei.