sexta-feira, 5 de março de 2010

O que dizem os directores de RH das 100 primeiras

… Algumas dicas de directores de Recursos Humanos de quatro empresas classificadas nas 100 melhores da «Fortune» de Janeiro.

Stacey Hattle, DRH, Scottrade (n.º 27)
«Neste momento estou a recrutar na área das IT. Nos currículos prefiro não andar à procura das competências que me interessam no candidato. Esse é o objectivo deles, destacar logo as suas skills para a posição. Sobre o candidato em si, devem ter a atitude certa, que é entusiasmo quando falam das suas experiências e objectivos. Enfim, mostrar paixão por aquilo que fazem.»

Anna Gray, Patient Care Director, Lifebridge Health (n.º 96)
«Estou a recrutar enfermeiras, pessoal auxiliar, administrativos, fisioterapeutas e médicos assistentes. Nos currículos procuro os processos de desenvolvimento e como fizeram a diferença. Quanto ao candidato, devem ensaiar antes da entrevista. Ao espelho ou com alguém amigo. Até encontrarem algum conforto.»

Lynn Franklyn, RH manager, Wegmans Food Markets (n.º 3)
«Estamos a recrutar managers e indivíduos para serviço ao cliente em part e full-time, para uma nova unidade. Nos currículos leio em primeiro a carta de apresentação, pois o resto é muito similar. Procuro sempre algo que me chame a atenção e me seduza, o que sabem de nós como organização, os nossos valores e a sua proposta de mais-valia para nós. O candidato em si deve expandir as suas ideias e não cingir-se a um sim ou não. Procuramos pessoas que expliquem em detalhe o que gostam e sentem.»

Kerrie Peraino, Chief Diversity Officer, American Express (n.º 73)
«Estamos a recrutar na área de atendimento ao público. Nos currículos procuro clareza, com foco no que se pretende, sem confusão. Devem ser simples e limpos. Se um currículo não tiver espaços brancos é porque está sobrecarregado de informação. Os candidatos devem centrar-se nas suas capacidades de relacionamento. E porquê? Porque a American Express tem uma cultura de interacção.»