quinta-feira, 18 de março de 2010

Patrão Fora, Dia Santo na Loja

A melhor forma de saber se o chefe é bom ou não, é saber como se comportam os seus colaboradores na sua ausência. Costuma dizer-se «patrão fora, dia santo na loja» quando se quer definir depreciativamente as pessoas. Mas a verdade é que esta pode ser a melhor avaliação que se faz a um manager.

Uma de duas apreciações:
1 - Se o departamento fica descontrolado, as pessoas não produzem e escolhem ter comportamentos negligentes, então significa que o controlo directivo do chefe é exagerado, tratando as pessoas como miúdos irresponsáveis. Que tipo de chefia é esta? É das que não delega, não confia, que controla, que monitoriza de mais, retirando a responsabilidade e minimizando as competências aos seus colaboradores.
Aqui o «dia santo de na loja» quer dizer que «nos livrámos dele, que o tipo é chato, que se marimbe o chefe». Não será o Dia Santo ABENÇOADO, AMIGÁVEL, BOM?

2 - Se o departamento se apresenta organizado e produtivo na ausência do chefe representa que a delegação, a confiança e a competência são altas, logo o sentido de auto-eficácia também é alto. O «dia santo na loja» não faz sentido ou, se fizer, é porque os colaboradores, sabendo perfeitamente executar o trabalho, pensam ser inútil a presença de um chefe controlador.

Portanto, o «Patrão Fora, Dia Santo na Loja» acaba por ser a mais negativa apreciação que se pode fazer de um chefe. Treine os seus colaboradores a viverem sem si. Teste os seus colaboradores a operarem sem si.