segunda-feira, 15 de novembro de 2010

As duas formas de controlar as pessoas

Tony Benn, ex-membro do parlamento inglês
Umas verdades duras, cruéis. O sistema mundial está armadilhado. Nada acontece por acaso. E esta crise global é programada. Desvios de expectativa isso há sempre. Mas era isto mesmo que era pretendido. Tony Benn deixa ao de leve alguns princípios básicos da liberdade: Reduzir dívidas ao mínimo, Não ter medo, Fugir dos ambientes e pessoas negativas, que desmoralizam. TV incluída. Atente-se nalgumas citações que seleccionei de uma entrevista de Tony Benn feita por Michael Moore:

«A escolha depende da liberdade de escolher. E, se estiver coberto de dívidas, não tem liberdade de escolha. Parece que o sistema se beneficia se o trabalhador comum estiver coberto de dívidas. Pessoas endividadas perdem a esperança. E pessoas sem esperança não votam. Senão haveria uma revolução. Por isso mantêm as pessoas oprimidas e pessimistas.»

«Há duas formas de controlar as pessoas: a primeira é assustando-as, a segunda é desmoralizá-las. Uma nação educada, saudável e confiante é mais difícil de governar. Acho que há um elemento no pensamento de algumas pessoas: “Não queremos que as pessoas sejam educadas, saudáveis e confiantes, porque ficariam fora de controlo.”
Um por cento da população mundial detém 80% da riqueza. É incrível que as pessoas tolerem isso. Mas elas são pobres, estão desmoralizadas e assustadas. Então, pensam que o mais seguro é seguir ordens e esperar o melhor.»