quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Learning to «Rework»

Rework, de Jason Fried e David Heinemeier Hansson, desmistifica o que é diferente. Destrói o standard e põe-nos a pensar seriamente naquilo que afinal já nos passou pela cabeça, mas não tivemos coragem de lhe dar a importância devida. Este livro é contra a corrente e contra-corrente. É anti-rebanho.

Já Jim Rohn também aconselha a fugir à opinião de massas, aos 97% que pensam da mesma forma ou semelhante. Não utilizem o seu vocabulário, as suas expressões, não pensem como pensam, não os sigam para onde vão, etc., etc. A linha desde livro afina por este diapasão.
Esta obra é para empreendedores, para pessoas que querem mudar de vida, que têm necessidade de algo diferente, que querem vencer a turbulência. É para toda a gente que está aberta à novidade e não quer ficar presa a um padrão, só porque é confortável, ou até mais fácil de aderir.
Rework é muito sobre o mundo do trabalho, mas o mundo do trabalho é uma fatia enorme da nossa vida e tem repercussão directa na nossa vida pessoal e emocional. O mundo do trabalho é importante de mais para não o considerarmos «vida pessoal».
Rework é fácil de ler, cada capítulo tem apenas 1 a 2 páginas. A leitura é seca, objectiva, directa e muito simples. Não há gorduras. Ah, importante, Rework não é um amontoado de teorias académicas nem de estudos de campo. É, sim, uma sucessão contada de experiências de vida.
Por todas estas razões e pelas que encontrar lá se o ler, Rework é uma pedrada-no-charco, um livro pedagógico, uma leitura educativa. Muito bom, mesmo.

Por último, vale a pena consultar o site da empresa de Jason Fried, a 37signals, e o seu blog.