segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

De que falam as pessoas doentes?

Outro dia ocorreu-me algo de óbvio. Tão óbvio que nem pensamos nele a sério. De que falam as pessoas doentes? Não, não, não é do hospital que estou a falar. É da rua, do café, do supermercado. Em todos os lugares encontram-se pessoas que falam sobre os seus males, as suas doenças.

É ouvi-las a falar do médico, da farmácia, dos medicamentos, das dores, do mal-estar, de outros doentes como elas. E repetem-se continuamente, de cada vez especificando pormenores sobre a sua «cruz»: onde fica a dor, como se sentem, o que fizeram, o que tomaram, o que comentaram, o dinheiro que gastaram. E afirmam o quanto infelizes se sentem com tão desagradável situação.

Uff, é na realidade um turbilhão de histórias e acontecimentos que não raras vezes enfastiam quem está a ouvi-las, a não ser que seja outra pessoa... doente. Mas no fundo, bem no fundo, é compreensível, pois as pessoas falam mais daquilo que as perturba e as incomoda.

Pois bem, e de que falam as pessoas que trabalham em empresas «doentes»?
Das «doenças» das empresas, da gestão, do dinheiro, do fim do mês, do horário, da hora de saída, do pessoal, dos colegas, da «chatice» do trabalho, da crise, da falta de oportunidades, de formação, da inércia, do que se disse sobre quem e o quê.

E de que falam as pessoas saudáveis?
Dos projectos, dos amigos, da alegria, dos planos para o fim-de-semana, das férias, de desporto, de jantares, de divertimento, de gente saudável...

E de que falam as pessoas de empresas saudáveis?
De projectos, de formação, de oportunidades, de ideias, de colegas satisfeitos, de férias, de convívio...

Bom, que conclusão tirar?
Se uma grande parte das pessoas doentes não tem hipótese de escolher sentir-se bem ou melhor, pelo contrário, uma grande parte das pessoas de empresas doentes tem hipótese de mudar, de fazer uma viragem. Se fala muito das «doenças» e da disfuncionalidade da empresa e se isso lhe causa um mal-estar permanente, equacione mudar... Já. Não espere até ficar como a empresa. Doente.