quinta-feira, 3 de março de 2011

Emprego e Rendimento estão entupidos

Ocorre-me este tema porque dois dos assuntos da actualidade parece ser o Emprego, ou o Desemprego; e o entupimento dos tribunais de trabalho.
Porém, parece-me que o assunto pertinente da actualidade é na verdade o «Rendimento». Todo o santo dia há notícias de empresas com ordenados em atraso. Portanto, de pessoas com Emprego mas sem Rendimento.
Por outro lado a entidade reguladora diz-se estar Entupida. Há anos.

«O Tribunal de Trabalho está entupido com processos.» Será esta notícia um atestado de estupidez às pessoas? Porque estar "entupido" não é justificação. É constatação.
Perdoem-me a comparação, mas se a sua sanita estiver entupida, o que faz? Desentope-a, claro. Ou não? Ficará antes durante anos a constatar o óbvio? «Está entupida.»

A lógica é simples. Se a definição mais básica de Economia é a «relação entre empresas e famílias», então a entidade regularadora destes dois pólos devia funcionar célere e devia ser a mais bem apetrechada de juízes. Mas não é. E porquê?

Porque interessa que assim seja, para servir interesses pessoais de quem governa, dos partidos em geral, daquilo que nós chamamos de Poder e que faz o «Sistema», esta coisa sem identidade e sem responsáveis.

Portanto, duas coisas a resolver no país: a primeira a do Rendimento. A segunda do Entupimento. A primeira resolve-se monitorizando e regulando eficazmente a relação empresas e colaboradores, não permitindo o abuso instituído que é o de não pagar quando apetece, fechar e abrir empresas quando apetece. A segunda é não permitir o entupimento, sendo que o tribunal é para funcionar e não uma despensa de registos de vigarices e de irregularidades.

A conclusão é que vamos ter um problema grave num futuro breve. Semelhante ao do Médio Oriente. Quando não se sabe com exactidão, mas o certo é que o caminho que se está a traçar conduz a esse resultado.