quarta-feira, 30 de maio de 2012

Uma conversa com o Possível


Há dias, falei com o Possível. Bastou concentrar-me um pouco e ele apareceu.
- Estás aqui? - perguntei.
- Sim, não me chamaste?, disse.
- Pois, tens razão, mas não pensava que ias ser tão rápido. - justifiquei.

E o Possível explicou logo tudo:
- Eu estou em todo o lado, não tenho casa, não tenho sítio certo. Vivo em todo o lado e passo o tempo a criar possibilidades. Provoco, experimento e desafio. Eu, o Possível, não me preocupo com coisa nenhuma, tudo é possível e não tenho inimigos.

- Não tens inimigos? – respondi eu - Como assim? Há coisas impossíveis, ou não? O Impossível, o teu contrário, é teu inimigo.
- Inimigos? – diz o Possível – ahahahah, o meu único inimigo dizem ser o Impossível, mas esse não existe. Se existisse, afinal, eu já tinha morrido. Só há lugar para um, percebes? - Como assim? - insisti eu.

- Explicando melhor - avançou o Possível - não é possível o Impossível existir sem ser na ideia do Não-Sou-Capaz, do Não-Consigo e do Não-Tenho-Jeito. Esse trio ainda não percebeu que apenas pôs uma alcunha ao Medo e ao Não-Quero. Os três convenceram-se então que há um Impossível e que por culpa dele não conseguem, não são capazes ou não têm jeito. Dizem sempre isso como que a convencerem-se que é impossível, mas se assim fosse, não era possível o Não-Tenho-Jeito, o Não-Consigo e o Não-Sou-Capaz fazerem o que é sempre possível. O que não é possível ali é sempre possível aqui ou acolá. Por isso é sempre possível aos três tornar possível alguma coisa em algum lugar. E se não criam a possibilidade naquilo que queriam, cria a possibilidade noutra coisa qualquer.

- Bom, não é fácil perceber, mas até parece simples - rematei eu.
- Pois é - reforçou o Possível. - Pensa um pouco e verás que a impossibilidade já é uma possibilidade. Na verdade, há uma coisa que é impossível, que é anular o possível, pois o próprio impossível já é criar uma possibilidade. Não! O Impossível não existe e o Não-Tenho-Jeito, o Não-Sou-Capaz e o Não-Consigo, ao criarem o imaginário Impossível criam a possibilidade de ter jeito para alguma coisa, a de não ter jeito, não conseguir ou não ser capaz de criar o próprio Impossível.
Portanto, convence-te de uma coisa, o Possível é a única coisa que é possível.

segunda-feira, 28 de maio de 2012

The huge power of organizational culture

Culture is the «glue» that holds people together or in the absence of culture people fall apart. The culture influences how people think, feel, and behave. It starts at the top and filters down. It can healthy and productive or unhealthy and toxic. But it is allways powerful.
Jim Rohn said once, «Never understimate the power of influence». That's so true. If you are at the top of a company, no matter the size, if you are a leader, be sure that all you do it's seen as an influence to your followers. Yes, what they do is a simple mirror of what you do daily.

Influence is perception, perception is behavior, behavior is action, action is result. The result is feedback. Like it or not, feedback is a response of a chain. Is not a cataclismic event. Is the last link of a process.

So, if you want to make something great, you have to start by yourself. Your example can influence others. Your behavior probably will be the behavior of others, and, by then you are already a leader. Now is time to measure the result. The culture. Positive ou negative, wrong or right... It's all about you.

sábado, 26 de maio de 2012

O fim do lado puritano do trabalho


«Arranje um trabalho de que gosta e nunca mais terá de trabalhar mais na vida.»
Confúcio

Por aqui neste mundo ainda se considera que tudo o que é trabalho tem de ser uma coisa muito séria e não é para agradar. É para se fazer. É uma luta. Repare nas pessoas à sua volta de manhã, nos transportes, na rua, e verá que a maioria leva consigo uma expressão pesada, de «funeral». Vão para o trabalho.
Há duas tradições históricas por detrás desta ideia decrépita:

- A tradição puritana, vinda do protestantismo calvinista, finais do século XVI, Inglaterra: O trabalho é sério, é para ser levado a sério e nada de brincadeiras. A vida é dura e deve ser levada com frugalidade, disciplina, rigor e trabalho árduo. Só assim se pode alcançar a salvação.

- A tradição feudalista: Cuja noção é que as pessoas que trabalham pertencem ao empregador. Os empregadores, ou melhor, os senhores feudais disponibilizavam aos trabalhadores os meios de sobrevivência. Estas duas tradições impregnaram ainda a era industrial, mas agora, em plena era tecnológica, tradições como estas não resistem. No estertor, dão os últimos sinais da sua condição austera recorrendo à velha fórmula do medo. O formato comando-e-controlo puritanista e feudalista está a ser substituído por sistemas que permitem um grande nível de participação e decisão. É sabido que cada vez mais são as pessoas que controlam a produtividade e o valor das empresas e não podem ficar afastadas da equação.

As pessoas já não trabalham só para sobreviver, mas sim para atingir um propósito e um significado. A satisfação no trabalho vai passar a ser uma consequência em vez de uma dádiva divina.
Mas, muito mais do que isso, a SATISFAÇÃO vai ser o negócio
antes do NEGÓCIO propriamente dito

sexta-feira, 25 de maio de 2012

Epicteto e a arte de viver

A sabedoria vem de longe e Epicteto foi um marco no ensino da arte que muitos dizem ser difícil: saber viver. Epicteto foi secretário do imperador Nero e faleceu no ano de 135. Um grande pensador do seu tempo cujas ideias e princípios são válidos no nosso tempo.

A Arte de Viver é um pequeno livro de Epicteto, das edições Sílabo. Em pouco mais do que 70 páginas são abordadas todas as áreas que devemos dominar. Do Orgulho à Vontade, da Resignação ao Auto-Exame, da Aparência à Liberdade, da Compaixão ao Que é Conforme à Natureza.
Há palavras que valem muito porque trazem consigo significados profundos. Os homens e mulheres de valor não se confinam à produção de palavras, antes são capazes de as dotar de significados que movem as pessoas e o mundo. Um exemplo:

«O que depende e o que não depende de nós – De tudo quanto existe, algumas coisas dependem de nós, outras não dependem de nós. De nós dependem a opinião, os apetites, os impulsos, a aversão e, numa palavra, cada uma das nossas acções. Não dependem de nós o corpo, os bens, a fama, o poder e, numa palavra, tudo o que não constitui uma acção nossa. Mais, o que depende de nós é por natureza livre, sem constrangimentos e ilimitado, enquanto que o que não depende de nós é fraco, servil, sujeito a constrangimento e pertença de outrem. Lembra-te, por isso, que se acaso considerares livre o que por natureza é servil, e teu o que pertence a outrem, ficarás de pés atados, sujeito a padecimentos e perturbações e culparás ambos, deuses e homens. Se, pelo contrário, considerares teu apenas o que é teu de facto, e o que não te pertence tal qual é, jamais alguém te há-de subjugar, ninguém te fará impedimento, a ninguém culparás, com ninguém reclamarás, absolutamente nada farás contra a tua vontade, nenhum inimigo arranjarás, ninguém te molestará; nada, enfim, te fará dano.»

A Arte de Viver, de Epitecto. É para ler e saborear.

quarta-feira, 23 de maio de 2012

O homem de bem e o homem medíocre

«O homem medíocre tem necessidade constante de aparato, sem nunca ser visto como grande senhor»
O caminho não parece ser este… o APARATO. A história repete-se vezes sem conta, mas lidar com ela é sempre um desafio. E o resultado uma incógnita.

«O homem de bem é na sua essência um grande senhor, sem ter necessidade e aparato»
O caminho será mais este… a ESSÊNCIA.

Um pequeno livro de Confúcio faz a distinção entre uma vida plena e uma outra e explica exemplarmente o que é a vida de bem e a mediocridade. Diz Confúcio, que viveu antes de Cristo, que «A vida do homem assenta na rectidão. Sem rectidão apenas assenta no acaso». Não é este o princípio que vemos como exemplo nos dias que vivemos e as consequências disso sentimo-las hoje. Mesmo com consequências tão declaradas, parece não haver capacidade para reformular. E vem então a confusão: o que é Bem e o que é Mal?
Com este pequeno livro, O Caminho do Homem para uma Via Espiritual, ficamos a reflectir e muito sobre nós, a sociedade, a educação, a conduta. E, decerto, afigura-se como um ponto de referência em relação ao que devemos ou não ser. Obrigatório ler.

«O homem de bem estima a virtude, o homem medíocre os bens materiais»
«O homem de bem tem dentro de si o sentido da lei, o homem medíocre não pensa senão nos privilégios»

«O homem medíocre baseia-se no compromisso, sem alcançar a harmonia»
«O homem de bem convive na harmonia, sem ter de assumir o compromisso»

Não leia só estas frases, reflicta um pouco mais e atente no que sente.

sábado, 19 de maio de 2012

Who do you hang around with?

This can be the first step if you want to change something in your life. You have to think about your energy, your focus, your attention. So, start with your network. Who are the people you use to hang around with? Who are the people who influence you? What type of inspiration, motivation, energy can you get from the people you spend your time? Jim Rohn, the man I've chosen to be my mentor, explains this in a cristal clear way:
«1. Disassociation There are some people you might need to break away from completely—these are negative, toxic people who infect you with their bad attitude. It’s difficult to ignore someone and their negative influences but doing so will put YOU in control of deciding the quality of life you want to have. Then surround yourself with the people who represent and support that vision.

2. Limited Associations There are some people who you can spend three hours with, but not three days. Others you can spend three minutes with, but not three hours. Decide how much you can “afford” to be influenced, based on how those people represent themselves.

3. Expanded Associations Whatever area of your life you want to see improvement in, find someone who represents the success you want, the parenting skills you want, the relationship you want, the lifestyle you want, and spend more time with those people. Join organizations, clubs, businesses and health clubs where these people are and make friends. Decide who of your friends are the best influences and make more time for them; it’s an investment of time that will prove profitable.»

Beautiful, all words and work of this man, Jim Rohn.

sexta-feira, 18 de maio de 2012

O futuro dos negócios

Isa Magalhães, no seu livro Gestão Holística de Pessoas, ed. Flora Nativa, Brasil, define de forma excelente a organização do futuro. Um visão mais abrangente a que Isa chamou de Empresa Holística.
Assim, atente às carecterísticas do negócio do futuro. O negócio da satisfação e da produtividade.

«A EMPRESA HOLÍSTICA TEM:        
CULTURA ABERTA com convívio e comunicação fluindo naturalmente. A tecnologia não substituiu as pessoas, é apenas ferramenta eficiente para o trabalho. PARTICIPAÇÃO ESTIMULADA – As pessoas são estimuladas a participarem através da delegação de autoridade e da formação de equipes interligadas nos diversos setores da empresa. CRIATIVIDADE - Um atributo essencial ao desenvolvido de cada pessoa na empresa, pois ser criativo é condição de sobrevivência e competência. PODER DE DECISÃO DESCENTRALIZADO – A decisão é um ponto-base da eficácia. Quem não tem capacidade de decisão, torna-se irresponsável e imaturo. A empresa que não permitir que as pessoas decidam, está infantilizando-se. Decisão indica maturidade. MISSÃO CLARA – a empresa assume compromissos com sua Missão perante a coletividade interna e externa, e age com coerência diante de seus valores. EQUIPES INTEGRADAS – Coesas e focadas em objetivos comuns, direcionadas para o sucesso organizacional. FORTE SENSO DE ÉTICA - O bem comum é a razão de qualquer comunidade, pois leva ao equilíbrio das relações. Esse senso de Bem Comum gera compreensão e prática da Justiça Social e da Qualidade de Vida no Trabalho - QVT. VISÃO E AÇÃO TÁTICA – Toda ação compatível com os projetos do futuro visa ao planejamento das oportunidades, observação das ameaça e as estratégias que fundamentam a estrutura da empresa. RELACIONAMENTOS AFETUOSOS – O caminho para que todos participem de um mesmo projeto vem da solidariedade, um sentimento que leva à parceria e amizade. Isso desenvolve a participação voluntária na equipe, sem coação. ESPIRITUALIDADE - Todo ser humano tem a aspiração de ser feliz. A produtividade pode ser profundamente influenciada pela felicidade que conduz à Espiritualidade. Falamos hoje de Inteligência Espiritual- IS, que nos faz superar os limites e nos leva em direção a um Bem Superior.»

Isa Magalhães é escritora, conselheira editorial nas edições Littere e como adora trabalhar com pessoas também se dedica à consultoria.

domingo, 6 de maio de 2012

Who are you, after all?

Theodore Roosevelt said once, «all the resouces we need are in the mind». As you see, inside us is where we have to find the meaning, not outside. If you waste your time trying to pursue something outside yourself, probably you'll get frustrated most of the time. Brian Tracy tells us that because of the fundamental law of cause and effect, «you become what you think about most of the time». What a great quote...

First, think about your identity. Who are you? Pay attention what you state about. Who are you, after all? Are you the money you make? Are you the house you got? Are you the car you bought? Are you the friends you have?

How do you feel your identity? By the money you earn or make? If it is that so, means if you lose all of your money, you become nothing.
Tell me, do you respect somebody by the money he or she got? Do you admire somebody by the the type of house he or she got? Do you feel inspired by someone just because he or she have some kind of power position?

Well, let me tell you I respect, admire or feel some inspiration by the people who do something good, by the example they are for me and society, by what they are as human beings, not by all they got.

Think of that for a while, alone, without any external interference.
Access deeply inside you and listen what he tells you, feels, ears or sees