domingo, 15 de julho de 2012

O cinismo da austeridade


Sociedade da Austeridade é um excelente, discreto e imperdível livro de António Casimiro Ferreira, sociólogo e professor doutorado por Coimbra. Ao longo das 136 páginas, o autor desmonta a falácia da austeridade, explicando basicamente como esta tem as costas largas para justificar a delapidação social e laboral que está a ser operada neste momento.

O medo; a insegurança e a incerteza; e a dicotomia entre o poder dos não-eleitos e dos eleitos, são os três factores que constituem a espinha dorsal da argumentação neste livro.

O cunho científico misturado com alguma argumentação vinda de fontes mais informais, como jornais e revistas e cidadãos comuns, dão-nos a dimensão da destruição criminosa que está a ser feita nas sociedades actuais, muito concretamente em Portugal. A Justiça, o trabalho, a política, os discursos, a manipulação. Tudo para que as massas acreditem que são responsáveis pela crise, aliás, que são culpados, que devem fazer sacrifícios, que têm que empobrecer, não há alternativa, mudar as condições de trabalho e por aí fora. A ciência, porém, diz o contrário, que estes métodos não resolvem nada, apenas servem interesses.

Em Sociedade da Austeridade, o enfoque principal é nas condições de trabalho, nas relações laborais e na lei. Um livro obrigatório, da editora Vida Económica, pela sua objectividade e rigor. Pouco mais de 10 euros para um bom pedaço de conhecimento.