segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Igreja e Política: a grande conspiração


Há quem não goste do autor, mas a verdade é que me assombrei quando me dispus a conhecer a sua escrita. Osho, um guru espiritual dos mais destacados no planeta. Pois bem, oferecido por um amigo, A Conspiração de Deus, Como a Política e a Religião Querem Acabar com a Liberdade Humana, foi minha companhia durante algum tempo.

O tema pode dizer-se que é quente, mas Osho debruça-se sobre um dos maiores males do nosso tempo: a manipulação requintada, das religiões e da política. A obra é um desafio à lógica do consciente. Desmantela muitos dos velhos pressupostos, rasga tradições intelectuais e no fundo é uma provocação declarada do hemisfério direito do cérebro, o da criatividade, ao do lado esquerdo, da lógica. No fim, o resultado é uma vitória retumbante da nossa massa cinzenta direita. E só deixando esta à solta alcançaremos outro patamar de entendimento.

«A moral é centrada em Deus; a consciência é o mais íntimo do ser a desabrochar... Só assim você se comporta como um indivíduo, não como um carneiro. Só assim você funciona como um ser humano com dignidade, com esplendor e com honra». A consciência é natural, a moral é imposta. A consciência vem de dentro do indivíduo. A moral vem das instituições que pretendem dominar-nos. Mantendo-nos na escuridão das suas teorias, mantêm-nos um rebanho manipulável. «A escuridão faz tudo parecer igual; a luz torna tudo diferente. No escuro, você não consegue ver, logo tudo lhe parece igual. Com luz já consegue ver, daí que tudo lhe pareça distinto

A Conspiração de Deus é um obra e tanto. Fala de Deus e da política, esta ciência que ameaça permanentemente a liberdade humana e que agora está bem à nossa vista, sem consciência e já sem moral...