sexta-feira, 31 de maio de 2013

Se eu soubesse...


Se eu soubesse como mudar o país...
Se eu soubesse como mudar as pessoas...
Se eu soubesse como mudar a economia...
Se eu soubesse como mudar o governo...
Se eu soubesse como mudar a crise...

Ah, o que eu faria se eu soubesse como mudar a situação...
O problema é que eu não sei o que fazer e como fazer. A única coisa que sei é o que poderei fazer comigo, e isso não falha. Independentemente da situação, eu sei que posso sempre fazer alguma coisa comigo, resulte ou não. O Se-eu-soubesse não é daqui, é do mundo das suposições.

O que eu sei é que se passar o tempo a pensar em como mudar a situação, ela não vai mudar... Nem para mim, nem para os outros. Agora a única certeza que tenho é que sei que posso fazer algo por mim e isso não falha.
Porque se eu mudar o meu mundo, vou melhorar, vou aumentar as minhas possibilidades, as minhas oportunidades e consequentemente vou alterar a minha situação, que está dentro do mundo.

Portanto, eu vou mudar o que faço, o que sei, o que conheço e o que quero, e isso não falha. E assim mudo a situação. A minha... E se mudo a minha, de alguma forma terá implicações na situação. Mas isso não é da minha conta.

O que farei? Como? Para quê? QuandoCom quem? Onde? E nunca mais o Se-eu-soubesse fará sentido para mim, porque agora eu sei que posso e isso não falha.