domingo, 21 de julho de 2013

Se não fez, não se lamente...

E de repente a vida não lhe corre tão bem e lá estão as velhas razões de sempre: a economia, a crise, os políticos, o governo, o país, o patrão, a empresa, o chefe, a mulher, as contas, os filhos, o dinheiro...

Comece a não fazer o que está a fazer...

... Mas o que andou a fazer até agora? Ia à praia, jantar fora, passear, petiscar com os amigos. Ah, comprou um bom carro, depois trocou por outro três anos depois e voltou a fazer o mesmo mais tarde. Sempre melhores, mais espaçosos e modernos. Sim, foi de férias, sempre, comprou um plasma, um tablet, um iphone, trocou por outro e outro. E quantas horas de TV? Todos os dias? Telejornais, futebol, concursos, debates e entrevistas, séries e filmes? Sim, quantas horas? Perdeu-lhes a conta...

... E a fazer o que não está a fazer

E aquele curso? Pois, não tinha tempo. E aquela formação que lhe aconselharam? Ah, não dava jeito. E o que procurou para aprender? Ah, sim, não deu por isso. Que livros leu durante estes anos? Quase nada, mais uma vez o tempo... Investiu na aprendizagem de uma língua estrangeira? Não? Ah, sim, para quê?... Também o tempo era pouco, certo? E uns workshops que os amigos o convidaram? Ah, pois, aquilo é tudo treta... E uns seminários ou palestras que viu no jornal? Ah, sim, sim, não tem pachorra.
Portanto, não investiu nada em si, certo? Como? Era a empresa que devia ter pago? E então o que gastou nos bens de consumo? A empresa não tem nada a ver com isso? Pois é... Não se lamente. 

Acorde e invista em si, na sua formação, nas suas competências, no conhecimento. Alargue a sua zona de conforto, aprenda, conheça, saiba. Em vez de andar entretido em coisas que não lhe acrescentam nada, faça algo por si... Não se queixe!

quarta-feira, 3 de julho de 2013

Hemisfério direito ou esquerdo?... Faça o teste

Leia cada uma das seguintes afirmações e decida, tendo em conta se se aplica a si ou não, se é verdadeira (V) ou falsa (F). Não pense muito, seja sincero/a:

1 ‐ Creio sinceramente que uso a minha intuição quando tomo decisões
2 – Analiso os problemas profundamente antes de decidir o plano de acção
3 – Para apresentar o meu ponto de vista, uso activamente as minhas
mãos e o resto do meu corpo
4 – Eu confio mais em factos do que em feelings para tomar decisões
5 – Gosto de apresentar as minhas ideias ilustrando‐as sob
a forma de imagens
6 – Costumam considerar‐me um tanto ou quanto sonhador
7 – Sempre fui muito bom com os números
8 – Gosto de organizar a minha vida com detalhe considerável para evitar surpresas desagradáveis
9 – Frequentemente, durante a noite tenho sonhos que parecem reais e tenho tendência a sonhar também acordado
10 – A matemática e a ciência têm sido sempre os meus pontos fortes
11 – Já me têm dito que tenho uma postura física sóbria controlada
12 – Gosto mesmo de ler ficção e poesia
13 – Sou muito bom a expressar as minhas ideias e palavras
14 – Gosto de fazer as coisas por impulso, em vez de planear detalhadamente

Se marcou verdadeiras as afirmações 1, 3, 5, 6, 9, 12 e 14, tem a sua forma de pensar dominada pelo hemisfério direito do cérebro. Se respondeu verdadeiras às afirmações 2, 4, 7, 8, 10, 11 e 13, é o hemisfério esquerdo que domina a sua forma de pensar. Se as escolhas se equilibram entre si é porque a sua forma de pensar não é dominada especialmente por qualquer um dos hemisférios.
Depois consulte a imagem e saiba se tende mais para ser analítico, estratégico, lógico e pela razão, pelas regras; ou se é mais intuitivo, criativo ou emocional.