segunda-feira, 14 de julho de 2014

Ser líder...


Para ser um verdadeiro líder é necessário ser fiel a si próprio, caso contrário, mais tarde ou mais cedo, vai «esfarelar-se»... na sua moral, na sua ética, na sua performance

Seja líder de si próprio, tome as suas decisões, assentes nos seus valores e no que acha que está certo. Assuma a sua posição, assuma as consequências, não se lamente, não se arrependa, mesmo que o/a façam sentir-se desconfortável. Lembre-se que as consequências podem causar desconforto quando decide por si, mas causam sempre desconforto quando não decide por si. Se assumir a liderança, meio-mundo vai estar a testá-lo/a. A testar a sua personalidade, a sua tenacidade, a sua envergadura de líder.

Ser líder é ser empreendedor e estes dois atributos exigem uma dose substancial de irracionalidade. Seguir o próprio caminho não está ao alcance de todos. Se quiser estar em Alta Performance, honre o seu propósito, a sua paixão, a sua vontade e os seus valores. Nunca abdique, pois se o fizer começará a viver a vida de outros... A irracionalidade reside no facto de seguirmos o caminho que muitos desaprovam. Estar de acordo com a maioria e ser «líder» num ambiente confortável e previsível está ao alcance de todos.

Ser um verdadeiro líder é lidar com a rejeição. E se a sentir muitas vezes é porque está a liderar a sua vida de acordo com os seus princípios. Está no caminho certo. Por norma, a sociedade não gosta de pessoas fiéis aos seus valores. A sociedade aprecia mais quem abdica e se «adapta» aos valores dos outros. Atente que quanto menos líderes e empreendedores houver, mais o sistema está controlado por meia dúzia de indivíduos. Pressionam, instrumentalizam, ameaçam e dominam o sistema. Sabem que os líderes e empreendedores genuínos não abundam. Muitos desistem antes de começarem, outros antes de alcançarem o que querem, outros ainda vendem-se por conforto e passam a viver a vida dos seus dominadores.

Quanto menos líderes, menos recursos são distribuídos, menos poder é delegado. Portanto, manter o poder passa sempre por impedir os outros de serem líderes. A liderança ameaça o poder. Este gosta de criar dependência, a liderança cria liberdade, empreendedorismo.

George Bernard Shaw escreveu: «As pessoas estão sempre a atribuir as culpas por aquilo que são às circunstâncias. Eu não acredito em circunstâncias. As pessoas que avançam neste mundo são aquelas que se erguem e procuram as circunstâncias que lhes interessam e, se não as encontram, criam-nas.»