quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Coaching é silêncio...


O coaching é a arte de colocar 
o foco genuíno em outra pessoa

Coaching é silêncio e questões. Coaching é a arte de ficar calado. A arte da pausa. A arte da escuta. A arte do foco no outro. A arte de questionar.

A confusão sobre a actividade de coaching é que se prefere chamar-se-lhe de consultoria pessoal. Mas de consultor tem nada, porque o coach não dá sugestões nem manifesta juízos de valor. 

É necessária preparação e integração. Não basta aprender e saber a estrutura e o objectivo. Não basta assimilar, estudar, fixar. O processo é talvez o mais importante, porque o coach é profissional no processo e não no resultado. Coaching é mais autoconhecimento.

Coaching é manter o foco total no outro, sendo que todo o trabalho é feito com a experiência da outra pessoa e não na sua experiência. 

Para calar a boca e não produzir julgamentos, opiniões ou juízos de valor é necessário preparação, integração, treino, humildade e foco genuíno na outra pessoa. 

- Se o coach fala muito, então não é coach e sim talvez conselheiro
- Se o coach interrompe o cliente, então não é coach
- Se o coach sugere, então não é coach, mas sim consultor ou mentor
- Se o coach não olha nos olhos, então não é coach
- Se o coach manifesta juízos de valor, então não é coach

Bem-vindo ao desenvolvimento pessoal e à actividade