segunda-feira, 4 de julho de 2016

O Inabalável Poder da Aceitação


O momento foi marcante. Depois daquela pergunta, «Mas o que é que eu hei-de fazer?...», a resposta surgiu automática, «Aceita o que está a acontecer. Liberta-te e encontrarás caminhos...»

E o monge continuou sussurrando, como se de um mantra se tratasse:

«O caminho da liberdade e do bem-estar pleno está inscrito no mapa da Aceitação. Lidera o teu estado de espírito reconhecendo o que se passa, o que acontece e aceitando que assim é. Ganharás a consciência de que o facto é o acontecimento e aceitando-o terás o caminho aberto e todas as escolhas à tua disposição para continuar... Com o conhecimento e a experiência que te foram oferecidas. Se não aceitares, não aprendes. Se aceitares poderás considerar-te sábio. A luta e o debate, sejam físicos ou mentais, desperdiçam a fonte energética, física e mental.

A aceitação tem o poder inabalável de construir o que vai ser, reconhecendo como aprendizagem aquilo que foi. Não se debate com O que devia ter sido, Podia ter acontecido ou o Se tivesse sido de outra forma... Ela é inabalável pela sua serenidade e respeito pelo que sucedeu.»

E a partir daquele momento o caminhante iniciou a sua experiência de Aceitação. A serenidade visitou-o para ficar e a criatividade, a alegria e a confiança acompanharam-na. O poder inabalável da aceitação é a maior das qualidades humanas... 
E o caminhante fez o seu progresso, olhando em frente e confiando no que é e no que vai ser, com a certeza de que as escolhas estão sempre em aberto. Tornou-se inabalável.