quinta-feira, 21 de julho de 2016

Trabalhar o Objectivo é Trabalhar as Emoções Ligadas ao Objectivo...

Trabalhar as emoções ligadas ao objectivo é fulcral...

O Paulo tinha um objectivo muito concreto e, como era algo importante para ele, tratou de colocar tudo no papel. O quê, datas e passos a dar. Visualizou o que queria e como queria. Criou uma imagem bem atractiva do seu objectivo, da sua ambição. Bem nítida, bem detalhada, bem vívida. 

O Paulo criou a ideia, tomou a decisão e passou à acção. Estava determinado. Bastava percorrer agora o caminho, cumprir os passos e chegar ao que queria, vitorioso.

No seu percurso, o Paulo deu-se conta da quantidade de objecções ao seu projecto. Umas surgiam do contexto, do exterior. Outras, mais fortes, vinham de dentro de si. Enfim, materializavam-se na desmotivação, na dúvida, na hesitação. A descrença começou a crescer e o Paulo abrandou. 

A imagem que havia criado não correspondia ao que estava a atravessar. A visualização final afigurava-se incongruente com a viagem. E assim do abrandamento passou à distracção, da distracção passou à desistência e aí instalou-se aquela sensação de frustração. «Deixa, possivelmente não era para mim...», encerrou assim o processo.
__________________________

Ao mesmo tempo que trabalha objectivos, sinta antecipadamente as emoções ligadas a todo o processo. Não só as que estão ligadas à meta final. Passo a passo, veja, ouça e sobretudo sinta as emoções ligadas a cada passo do caminho. 

Chama-se a isto Trabalhar o Objectivo e Trabalhar as Emoções Ligadas ao Objectivo. Porque objecções, obstáculos e dificuldades sempre haverá. E a cada passo estão lá emoções. Umas gratificantes outras talvez não tão agradáveis, porém importantes. Ao não estar preparado para viver essas emoções, não estará preparado também para seguir em frente...